Pesquisar

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Da coleção de ótimos musicais originais e divertidos: Um Dia em Nova Iorque (On The Town) de 1949



Os marinheiros Gabey (Gene Kelly), Chip (Frank Sinatra) e Ozzie (Jules Munshin) irão aproveitar a folga para passar um dia inteiro em Nova York. E a cidade nunca mais será a mesma! 
Cada um tem seu próprio plano de divertimento: Chip quer ver o máximo da cidade possível utilizando um antigo guia datado de 1905 que seu pai um dia lhe dera, Ozzie deseja encontrar-se com várias mulheres e Gabey, o mais sério, anseia por encontrar a mulher da sua vida. 
A aventura dos nossos amigos começa realmente quando, em um túnel do metrô, Gabey vê a fotografia da bela modelo Ivy Smith (Vera-Ellen) e diz ter encontrado a mulher de seus sonhos, arrastando seus melhores amigos a uma busca de sua paixão. 
Primeiro filme do renomado diretor Stanley Donen, de "Cantando na Chuva", "Cinderela em Paris" e "Dançando nas Nuvens", este filme conta também com um excelente elenco, belas coreografias e uma trilha sonora de tirar o fôlego, vencedora do Oscar de 1950.

Musical clássico da Metro, dos mais perfeitos do estúdio, repleto de momentos brilhantes, extremamente criativo e original. Foi o primeiro dos três filmes que Kelly dirigiria junto com Donen (ambos estavam estreando na função) e colocaram toda sua energia no filme, o que fica evidente desde os momentos iniciais. Claro que o elenco perfeito (e aproveitado de forma equilibrada e sem estrelismos) ajuda bastante. 
Sinatra canta pouco mas capricha no humor, num papel semelhante ao que fez ao lado de Kelly em "Marujos do Amor" (1945); Ann Miller e Vera-Ellen estão dançando maravilhosamente, a comediante Betty Garrett rouba todas as cenas em que aparece (devido a problemas do marido com a paranóia McCarthista, ela fez pouco cinema e esse é seu melhor momento), o comediante astro da Broadway Jules Munshin também fez poucos filmes, sendo mais lembrado por este e, claro, Kelly estava no auge e não poderia se sair melhor. 
Além disso, o texto é muito bom (dos mesmos autores de "Cantando na Chuva"), com uma infinidade de piadas e trocadilhos e muito romantismo. Foi o primeiro grande musical rodado em locações, o que foi bastante trabalhoso e um desafio. Ainda que a maior parte dos números tenha sido feito em estúdio. Simplesmente perfeito e inesquecível. Alice Pearce (1917-66), que faz a amiga feia da taxista, mais tarde alcançaria a imortalidade fazendo a vizinha bisbilhoteira Senhora Kravitz no seriado de TV "A Feiticeira". 
Originalmente o musical foi um show da Broadway, mas quando a Metro o adaptou preferiu usar uma nova trilha musical, conservando apenas a música tema "New York, New York" (que está entre as cem melhores de todos os tempos, votada pelo AFI e que é basicamente a única feita inteiramente nos pontos turísticos da cidade).

Curiosidades:
  • Este filme ocupa a 19ª colocação na Lista dos 25 Maiores Musicais Americanos de todos os tempos, idealizada pelo American Film Institute (AFI) e divulgada em 2006.
  • O filme tornou-se histórico por ter sido o primeiro musical a ser filmado em locação. Gene Kelly insistiu para que algumas cenas fossem feitas em Nova Iorque e não em estúdio, como era comum na época. Foram filmadas no Museu Americano de História Natural, na Ponte do Brooklyn, e no Rockefeller Center.
  • É uma peça musical de Leonard Bernstein, com letra de Betty Comden e Adolph Green, que estreou na Broadway em 1944.
Texto de Rubens Ewald Filho com adaptações, disponível em cinema.uol.com.br