Pesquisar

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

O melhor filme do ano segundo a revista Time: Amour

 

Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva) tem oitenta e poucos anos, são dois professores de música aposentados que estão juntos há mais de meio século. Quando Anne sofre dois acidentes vasculares cerebrais graves e perde a fala e os movimentos do corpo, Georges cuida dela com o um amor de jovem que se apaixona pela primeira vez. O escritor e diretor austríaco Michael Haneke é conhecido por suas parábolas proibidas de famílias atormentadas por um mal exterior: Funny Games, Caché, A Fita Branca. O vilão nesta obra é a decadência física e mental da qual todos nós somos herdeiros. Este é o Haneke mais íntimo, positivo e humano. Os dois grandes atores, ícones do cinema francês, desde os anos 1950, estão no auge de sua arte em uma história de devoção levada ao limite. O corpo pode murchar e perecer, mas o amor - e Amour - nunca morrerão.



Fonte: entertainment.time.com, texto original de Richard Corliss.