Pesquisar

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Motown- The Musical, em cartaz na Broadway

Está em cartaz nos palcos da Broadway o musical que conta a história real da gravadora Motown Records, também conhecida como Tamla-Motown, fundada em 12 de janeiro de 1959 por Berry Gordy Jr. na cidade de Detroit, estado americano de Michigan conhecida como "Motor Town" (daí o nome da gravadora), devido às montadoras de automóveis ali instaladas.
Nos anos 60 foi a mais bem sucedida na criação daquilo que se tornou conhecido como 'O Som da Motown', um estilo de "soul" bem característico, com o uso de instrumentos como pandeiros, baterias e instrumentos do "rhythm and blues" além de um estilo de 'canto-e-resposta' (com a repetição, por parte do coral, de frases inteiras ou palavras de alguns versos) originário da música gospel. 'O som da Motown' também é marcado pelo uso de orquestração e instrumentos de sopro, por harmonias bem arranjadas e outros refinamentos de produção da música pop, e é considerado precursor da Era Disco dos anos 70.
Apesar de terem existido músicos negros norte-americanos de grande sucesso antes dos anos 60, incluindo Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Nat King Cole, e Chuck Berry, a Motown foi a mais importante lançadora de artistas negros desde seu surgimento até o surgimento do chamado "hip hop". Foi também a primeira a lançar músicas que deixavam de lado o puro e simples lirismo e mergulhavam também em temas sócio-políticos. 

  

Foi também a criadora dos chamados 'girl groups', como Martha & the Vandellas e The Supremes. Seus artistas eram vestidos, penteados e coreografados de modo impecável, para exibições ao vivo nas tvs e shows. Deveriam, para a gravadora, funcionar como uma espécie de "embaixadores" para outros artistas negros norte-americanos em busca de sucesso.


A maioria dos sucessos da Motown nos anos 60 - destaque para as primeiras gravações de Diana Ross e The Supremes - foi escrita pelo trio de compositores Holland-Dozier-Holland (Lamont Dozier, e os irmãos Brian e Edwin Holland Jr.). Tanto cuidado com a produção deu resultados: de 1961 a 1971 a Motown conseguiu emplacar nada menos que 110 músicas no "Top 10" norte-americano. Para completar o acompanhamento de alguns artistas, a gravadora teve também sua própria orquestra, chamada The Funk Brothers.

Dirigido por Charles Randolph-Wright e escrito pelo próprio fundador da gravadora, Berry Gordy Jr., o espetáculo tem como ponto central da trama a história desse jovem que, contrariando todas as apostas, criou o império musical que mudou o mundo... descobrindo ao longo do caminho artistas lendários como Michael Jackson, Diana Ross, Smokey Robinson e muitos outros. Em cartaz com os sucessos que você e eu adoramos —como "My Girl" e "Ain't No Mountain High Enough"— um show emocionante que traz o som da eletrizante e histórica Motown aos palcos da Broadway!

Fonte: wikipedia.org