Pesquisar

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

[V>Hollywood] A Disney e "A Princesa e o Sapo"


A Disney clássica está de volta! O estúdio tem marcada para essa semana a estréia de uma animação à moda antiga, A Princesa e o Sapo conta a história de uma menina que sonha em virar princesa beijando um sapo, e de um sapo que sonha em virar príncipe. John Lasseter é o responsável pelo retorno as origens do estúdio. Ele é o diretor executivo e supervisor criativo da Disney, é também o fundador dos estúdios Pixar, que revoluciona a animação digital a cada filme. Com a compra da Pixar pela Disney, Lasseter ganhou papel de destaque no segundo pois ele com a sua forma inovadora de trabalho na Pixar conseguiu grandes trabalhos repletos de criatividade, e a Disney não perdeu a chance. O filme Bolt já sofreu com o auxílio dos criativos da Pixar, o filme foi o melhor da Disney em todos os sentidos após um longo tempo de calmaria.
A Disney apostava até agora, assim como os outros estúdios, na animação digital, chegou a demitir todos os seus artistas responsáveis por clássicos como Branca de Neve e os sete anões, A Pequena Sereia, Rei Leão. Andreas Deja foi o único artista do departamento que mantiveram, pois ele é um dos "nove velhos" que fundaram o estúdio em 1934. Os filmes de animação 2D não davam lucros, mas o que faltava era criatividade. A palavra que formou o estúdio já não estava mais ali, a falta de imaginação tomou conta das produções.
Mas agora a Disney conseguiu redescobrir a fórmula milenar. E parece que não esquecerá tão cedo. Em A Princesa e o Sapo a trama é baseada na fábula dos Irmãos Grimm, mas mostra os novos tempos. A produção teve até envolvimento de empresas de animação brasileiras. A princesa clássica está de volta mas agora mais contemporânea, é a primeira princesa afro-americana da Disney, talvez até do mundo. A história ainda é um musical contagiante com composições de Randy Newman (Toy Story). O filme tem direção de Ron Clements e John Musker e foi escrito por Rob Edwards. Dublagem original de Anika Noni Rose, Bruno Campos, Keith David, Terrence Howard e Oprah Winfrey.